sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Sobre Deus

Escrito em 2009

          O meu Deus é onipotente, onipresente, onisciente. Ele não está distante, sentado em um trono. Ele não é à minha imagem e semelhança. Posso senti-lo aqui e agora. Posso senti-lo em todos os momentos, bem próximo de mim. O meu Deus é soberanamente bom. Ele não me pune. Ele me ama com o mais puro amor. Ele guia meus passos. Ele me dá forças nos momentos mais difíceis.
          Minha vida tem sido um tanto quanto tranquila. As coisas tem se encaminhado de forma mais fluida do que eu imaginava. O que eu imaginei que seriam grandes obstáculos, foram apenas pequenas pedras no caminho. O que eu imaginei que me demandaria grandes esforços, tem me acontecido quase que naturalmente. E quando eu imaginei que meu mundo fosse acabar, eu simplesmente sacudi a poeira e segui em frente. Eu poderia dizer que tenho sorte, se acreditasse nela. Eu poderia dizer que tenho mérito, se não detestasse tanto esse conceito por todas as suas implicações e impactos  na sociedade em que vivo. Eu poderia dizer que sou forte, se não fosse tão fragilmente humana. É nessas horas que eu percebo que essa força não é somente minha. Ela vem de um Deus que guia cada passo meu. Um Deus que tem uma paciência infinita comigo. Porque eu me revolto, me entristeço, me desespero, me afogo em lágrimas diante de acontecimentos que são o melhor para mim e indispensáveis na construção do meu caminho.
          Segundo um filósofo, "quanto mais forte o teu Deus, mais fraco tu és." Mal sabia ele que o mundo é muito mais do que sonhava sua filosofia. A cada dia minha fé aumenta mais, ainda que eu desconstrua muitos dos meus valores e  fragmente muitas das minhas verdades como tem acontecido de forma incalculável desde que entrei na universidade. "Maldita" historicidade. "Maldito" estudo do passado e de outras sociedades que fazem com que, sem que eu me dê conta, eu veja meu presente, minha sociedade e a mim mesma com outros olhos, me despindo de todas as minhas antigas certezas e ampliando meu mar de inquietações e questionamentos.
          Às vezes eu queria ser dessas pessoas cuja maior preocupação é se as unhas quebraram, cujo maior objetivo é enriquecer e ter o carro do ano, que discutem os enredos das novelas e que têm certeza de que "everything is gonna be alright". (Eu não consigo ser dessas pessoas nem quando eu me permito assistir ao BBB porque inúmeros questionamentos, análises e críticas me surgem sobre aquilo o que eu estou vendo). E vivendo nessa mediocridade egoísta deve ser até fácil ser feliz, viver com um sorriso estampado no rosto. Por isso, quando você vier me perguntar qual é o meu problema, eu te direi que não é nada. Mas, na verdade, o meu "nada" significa que não foi um parente meu que faleceu, nem um tombo de bicicleta, nem mais uma desilusão amorosa. O meu "nada", na verdade, significa TUDO. Toda essa sociedade contraditada em que eu vivo. Todo esse mundo que eu não entendo. Todo esse mundo que não me entende. E tudo isso tem que caber dentro do meu peito, dentro desse coração confuso e adolescente. E mesmo se eu entendesse todo esse mundo, isso não seria o suficiente para modificá-lo, nem para modificar a mim mesma.

8 comentários:

  1. Pô, muito bom esse seu texto. Muito bom mesmo, me prendeu desde o título até o ponto final! Hahaha!
    Parabéns!

    tô te seguindo (:

    ResponderExcluir
  2. Realmente acho que Deus é capaz de tudo. Embora exista momentos em que sou um tanto quanto orgulho e me atrevo a não acreditar numa força maior. :(

    Belo texto e acho que você é capaz de entender o mundo sim e perceber que ele apenas não tem tradução. Tudo é muito complicado. E quando não se pode entender, cabe a nós abrirmos aquele sorriso e mostrar aquele outro lado. O qual alguns conseguem entender. :)

    Obrigada pelo comentário no meu Blog! :)

    ResponderExcluir
  3. Realmente, sem Deus não somos nada, e mesmo falhando algumas vezes com Ele, Deus está sempre ali a nossa espera e nos ama do mesmo jeito.

    Muito bom o texto.
    abraços,
    @iagomarcell

    ResponderExcluir
  4. Tem um selo no meu Blog pra você, tá bem Luiza?

    ResponderExcluir
  5. Olá Luiza,
    Passei novamente aqui, dessa vez pra agradecer o comentário. Não resisti e li alguns de seus textos. Amo seu blog.
    Olha, espero que você consiga encontrar a resposta certa, tá. Infelizmente não sei que conselho te dar pois não sei qual a situação. Mas estou torcendo por ti.

    abraços,
    @iagomarcell

    ResponderExcluir
  6. Olá!!!
    Vi seu anuncio de Blog no Orkut e gostei muito do que vi... e já estou seguindo...
    Parabéns pelo trabalho.
    Saudações,
    Edu (http://edurjedu.blogspot.com)

    ResponderExcluir
  7. Bom texto, fé e a base para muita coisa nessa vida, parabéns pelo texto, mesmo!!

    ResponderExcluir